Skip to content

Romã

A romã espanhola contém numerosos antioxidantes naturais, principalmente os polifenóis, que são umas substâncias químicas presentes na pele e nas membranas interiores deste fruto.punicalagina-livro

 

Em resultado do conhecimento adquirido nestes últimos 14 anos de trabalho neste blogue, elaborámos este artigo como resumo, fazendo uma pequena recapitulação sobre a importância destes polifenóis no aumento do cultivo e do consumo da romã espanhola na União Europeia. Esperamos que seja útil para si.

Um fruto cultivado há séculos

A romã espanhola começou a ser cultivada comercialmente em meados do século XIX. O olival começou a ser substituído em Elche por pomares de romãzeiras e as primeiras referências comerciais datam de 1864 (DOP, 2016), embora a sua cultura tenha sido trazida pelos árabes no século VII, durante a conquista muçulmana da Península Ibérica.

Atualmente, as variedades de romã cultivadas em Espanha podem ser encontradas em muitas partes do mundo, como no México e na Califórnia. No entanto, as condições climáticas mediterrânicas de Espanha são as ótimas para o seu cultivo.

O-segredo-da-roma

A variedade predominante em Espanha

Em Espanha a variedade de romã mais cultivada é a Granada Mollar Elche.

A romã é uma espécie de fruto que foi domesticada no Neolítico, tendo uma clara relevância durante toda a Antiguidade.

Temos uma prova da sua importância através de uma menção no Antigo Testamento, que também se estende a outros frutos como a videira, a oliveira ou a palmeira.

Durante toda a História e em diversas culturas, a romã assumiu um simbolismo relacionado com a fertilidade.

punicalagina-livro

Romã, um fruto medicinal

A romã possui inumeráveis benefícios para a saúde e o seu papel na cura de doenças é amplamente reconhecido desde tempos imemoriais.

O-segredo-da-roma

A romã foi objeto de uma intensa investigação durante os últimos quinze anos. Muita desta investigação pretendia comprovar as propriedades que os seus antioxidantes naturais exercem no corpo humano.

Os diferentes compostos da romã espanhola, e especialmente os seus antioxidantes naturais, fazem dela um fruto muito benéfico para a saúde.

A romã espanhola é rica em diferentes substâncias fitoquímicas.

Contém numerosos antioxidantes naturais valiosos como flavonoides, elagitaninos, punicalagina, ácido elágico, vitaminas e minerais.

punicalagina-livro

Além disso, os antioxidantes naturais encontram-se em diferentes partes do fruto como nas sementes, na casca, nos arilos e nas membranas interiores e são utilizados há séculos intensivamente na medicina tradicional como terapia natural.

A punicalagina da romã é um antioxidante natural responsável por inumeráveis benefícios para a saúde.

Os principais responsáveis pelos benefícios saudáveis da romã são os polifenóis e entre estes destaca-se a punicalagina, também responsável por inumeráveis benefícios para a saúde, devido à sua forte atividade antioxidante.

Os antioxidantes naturais da romã espanhola promovem a saúde.

Os antioxidantes naturais da romã espanhola manifestam um efeito promotor da saúde mediante a modulação das vias fisiológicas e bioquímicas.

O-segredo-da-roma

Evidências recentes sugerem que os antioxidantes naturais da romã têm implicações terapêuticas na gestão da saúde, através da inibição do efeito dos radicais livres e da modulação da atividade das enzimas relacionadas com o desenvolvimento das doenças e da sua progressão.

Sem dúvida alguma que, a partir de 2007 a Universidade Miguel Hernández e, em concreto, o Grupo de Investigação, Qualidade e Segurança Alimentar, dirigido pelo Professor Dr. Ángel A. Carbonell Barrachina, foram um elemento fundamental para conhecer as propriedades da romã espanhola, ajudando a que cheguem com maior celeridade à comunidade científica europeia. A elaboração de vários livros divulgativos foi essencial para o conhecimento geral destas propriedades.